Aumento cognitivo: veja como o Ginkgo biloba ajuda na concentração

As propriedades do ginkgo biloba já são razoavelmente conhecidas, mas a esta exótica planta oriental ganha mais evidência atualmente, por conta de seus poderes sobre a memória e concentração. Esses benefícios são cada vez mais buscados, pois a vida da maioria das pessoas é extremamente corrida.

A rotina agitada, principalmente no trabalho e nos estudos, faz com que seja necessário suplementar o organismo com nutrientes que atuam diretamente na cognição. Além da capacidade de memória e concentração, o ginkgo biloba também é um remédio natural para a ansiedade, depressão e produz diversos efeitos positivos no corpo.

Veja a seguir quais são os benefícios desta planta para a memória e concentração, assim como os impactos positivos que causam no corpo inteiro. Conheça também seus nutrientes, como consumir e se existem efeitos colaterais e cuidados no uso.

Quais benefícios do Ginkgo biloba para concentração?

No que diz respeito à atividade mental, quem toma ginkgo biloba se beneficia imensamente. Veja a seguir quais são os principais benefícios.

Rendimento da memória e concentração

Em nosso corpo, o sangue deve circular por todos os órgãos para que haja o funcionamento perfeito do organismo. O que o consumo de ginkgo biloba promove é uma microcirculação sanguínea mais intensa, de forma que o sangue também circule melhor pelo cérebro.

Dessa forma, o oxigênio também chega melhor no cérebro, o que traz o efeito do rendimento cognitivo e da concentração, especialmente para atividades de cunho intelectual.

Combate ansiedade e depressão

Em episódios de muito estresse, típicos da ansiedade e da depressão, o corpo produz muito cortisol. O gingko biloba, por sua vez, age no combate direto à produção excessiva desse hormônio. Essa planta é benéfica também para mulheres que sofrem com alterações de humor em casos de TPM.

Evita perda de mémoria

É justamente o aumento da circulação de sangue no cérebro, e sua consequente oxigenação, que previne a destruição precoce dos neurônios. Dessa forma, o gingko biloba atua para preservar a força da memória e concentração.

Demais benefícios da Ginkgo biloba para saúde

O gingko biloba já deveria ser considerado um super remédio natural por si só, apenas pela sua capacidade de melhorar a cognição e ser usado para auxiliar no tratamento da depressão e ansiedade. Mas, na verdade, essa planta é poderosa também em outras áreas do corpo.

Saúde dos olhos

Com o seu poder de melhora da circulação sanguínea, o ginkgo biloba faz com que o organismo não seja atingido pelos efeitos nocivos dos radicais livres tão facilmente. Na região dos olhos, danos contra a retina, a córnea ou a mácula são prevenidos.

Equilíbrio da pressão arterial

Por óbvio, uma planta cuja atribuição principal é a melhora da circulação sanguínea terá impacto direto sobre a pressão arterial. O ginkgo biloba faz isso a partir de uma suave dilatação das artérias, o que faz com o sangue circule com mais facilidade. Com o fluxo sanguíneo sem obstrução ou dificuldade, a pressão naturalmente se regulariza.

Saúde do coração

Este benefício é basicamente uma consequência do anterior, pois o coração se beneficia na pressão reduzida. Além disso, o ginkgo biloba está associado com a prevenção da formação de coágulos no coração e diminuição dos riscos de infarto.

Aumento da líbido

São dois os fatores que tornam o ginkgo biloba em um remédio natural para a saúde sexual: a regulação hormonal e a circulação sanguínea para as regiões genitais.

Nutrientes do Ginkgo biloba

O ginkgo biloba possui dois nutrientes principais, os bioflavonóides e os terpenóides. Tais nutrientes possuem capacidade antioxidante, isto é, combatem a morte precoce das células, em especial as do cérebro.

Como consumir o Ginkgo biloba

Existem duas formas de consumo do ginkgo biloba: cápsulas ou pó. É importante atentar para a concentração dos nutrientes, cujo padrão é de 6% para os terpenóides e 24% para os bioflavonóides.

Efeitos colaterais e cuidados no consumo

O gingko biloba possui alguns efeitos colaterais, embora sejam raros, como queda da pressão sanguínea, tontura e sensibilidade na pele. Outros efeitos são dores de cabeça, gastrite ou enjôos.

Mas é preciso ter em mente que esses são possíveis efeitos que ocorrem com o uso excessivo do ginkgo biloba.

Apesar de tudo, é preciso ter cuidado no consumo. Pessoas com hemofilia ou que usam medicamentos antiplaquetários ou anticoagulantes não devem consumir esta planta. Quem está prestes a realizar uma cirurgia também deve evitar. É o mesmo caso para gestantes ou mães em processo de amamentação.Sem dúvida, o gingko biloba é um dos suplementos mais usados atualmente para melhorar a concentração e memória. Portanto, desde que as recomendações sejam respeitadas, vale a pena incluir esta planta tão poderosa na rotina e obter mais qualidade de vida.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

14 + três =